Are you a webmaster? Find out how to easily add Textise to your web site.


This page has been Textised!
The original page address was https://saudesemdano.org/america-latina/temas/projetos-especiais-residuos


Busca
avançada »
 
Busca avançada
E.g., 02/23/2020
E.g., 02/23/2020
[Image: Sua página]   Text
Only
  Somente
texto
  Solo
texto
 
Colabore
Menu
             
Você está aqui
  1. Início
  2. Temas
  3. Projetos Especiais sobre RSS
Projetos Especiais sobre RSS

Estes são alguns dos projetos que Saúde Sem Dano está realizando juntamente com organizações membro de todo o mundo sobre resíduos de serviços de saúde (RSS).

Projeto Global sobre RSS (Projeto GEF)
Juntamente com a Organização Mundial da Saúde e o Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento, Saúde sem Dano está desenvolvendo um projeto financiado pelo Fundo para o Meio Ambiente Global (Global Environment Fund – GEF).


O projeto é denominado "Demonstração e Promoção das Melhores Técnicas e Práticas para a Redução de Resíduos Gerados pela Atenção à Saúde com o intuito de Prevenir Emissões de Dioxinas e Mercúrio ao Meio Ambiente" e está se desenvolvendo basicamente sob o mandato do Fundo para o Meio Ambiente Global, no cumprimento dos objetivos da Convenção de Estocolmo sobre Poluentes Org'nicos Persistentes.

O projeto, que conta com recursos de dez milhões de dólares, desenvolverá demonstrações de medicina livre de mercúrio e dioxinas nos estabelecimentos de saúde eleitos como modelo. Atualmente, o projeto encontra-se em final de planificação e deve ter início ainda em 2009, em oito países participantes: Argentina, Índia, Filipinas, Letônia, Líbano, Senegal, Tanz'nia e Vietnã.

O objetivo geral do projeto é reduzir as emissões de dioxinas e mercúrio no ambiente, através da promoção das melhores técnicas e práticas para a redução e o manejo dos resíduos de serviços de saúde.

Alcançaremos este objetivo, através das seguintes atividades que cada país participante colocará em prática com a colaboração dos governos nacionais, ONGs, associações profissionais, universidades, hospitais e clínicas participantes.

  • Desenvolver hospitais modelos, urbanos e rurais, que proporcionem uma experiência demonstrativa de diferentes enfoques para eliminar as dioxinas e o mercúrio.
  • Estabelecer programas nacionais de treinamento e educação sobre o manejo de resíduos de serviços de saúde, que sirvam aos respectivos países e regiões onde se localizam.
  • Assegurar que as novas práticas de manejo e os novos sistemas sejam documentados a nível nacional e que sejam promovidos, disseminados, duplicados e institucionalizados.
  • Colaborar com o processo de preparação do Plano Nacional de Implementação da Convenção de Estocolmo.
  • Disseminar e reproduzir os resultados do projeto a nível regional e global.
Também estamos colaborando com a Universidade de Dar es Salaam, na Tanz'nia, para construir e avaliar tecnologias alternativas de baixo custo à incineração e de pequeno a médio porte, para que sejam usadas em países em desenvolvimento. Estas tecnologias serão fabricadas usando recursos locais e uma gama de fontes de energia incluindo a solar. A meta do projeto GEF é reproduzir e promover essas tecnologias em outros países.

Proyecto Bagamoyo
No Hospital de Bagamoyo, perto de Dar es Salaam na Tanz'nia está se desenvolvendo um interessante projeto-piloto de desinfecção de resíduos biológicos com autoclave.

Trabalhando junto com a ONG local AGENDA, a organização John Snow Inc (JSI), o Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD) e o Fundo para o Meio Ambiente Global (GEF – Global Environment Fund) SSD conseguiu capacitar o pessoal na segregação de resíduos e instalar uma autoclave e um triturador. Também se organizou um comitê para a gestão de resíduos.

Os ensaios realizados com simulações de RSS indicaram o procedimento mais eficiente para desinfetar os resíduos (ler relatório técnico). Coletores rígidos cheios com seringas também foram autoclavados e depois triturados de maneira de assegurar que deixaram de representar uma ameaça.

O novo sistema foi inaugurado em outubro de 2008 e será minuciosamente monitorado e aprimorado durante 12 meses. Depois disso continuará funcionando como um sistema modelo.
Em Bagamoyo também serão testadas tecnologias desenvolvidas pela Universidade de Dar es Salaam e pelo proyecto PNUD/GEF.

Proyecto de RSS Hubli-Dharwad
Há quase dez anos que na Índia existem normas claras sobre o tratamento de RSS, mas elas raramente são implementadas. SSD em parceria com Toxics Link capacitou o pessoal de todos os hospitais municipais nas cidades gêmeas Hubli-Dharwad, no estado de Karnataka.

Com o objetivo de ajudar o pessoal do hospital a por a teoria em prática, também montamos unidades modelo nas quais os integrantes do projeto podem monitorar de perto as atividades de geração e segregação de resíduos e as questões de segurança e assim, ajudar os hospitais a resolver os problemas, à medida que surgem.

No próximo ano estenderemos o programa de capacitação incluindo um módulo de treinamento de multiplicadores locais que continuarão o processo de capacitação, de maneira que a prefeitura possa manter o nível de competência alcançado em seus hospitais. Também daremos início ao processo de substituição dos termômetros e tensiômetros de mercúrio. Para mais informação sobre a substituição de mercúrio, visite a nossa seção sobre mercúrio.

Campanha para Erradicar o Sarampo nas Filipinas (PMEC)
A vacinação é fundamental para prevenir doenças e salvar vidas. Porém, os programas de vacinação em massa podem gerar enormes quantidades de resíduos. Muitas vezes, os resíduos são queimados a céu aberto ou os doadores constroem pequenos incinerados de baixo orçamento para tratar os resíduos gerados pelo programa, mas que depois terminam sendo utilizados para queimar outros resíduos hospitalares, perpetuando o problema da contaminação por dioxinas.

Saúde sem Dano está trabalhando com várias organizações para apoiar seu importante trabalho enquanto busca soluções ao problema da incineração de resíduos.

Em 2004, colaboramos com o Departamento de Saúde das Filipinas, juntamente com a Organização Mundial da Saúde, para demonstrar que existem alternativas viáveis à incineração dos resíduos das campanhas de vacinação. Como resultado, as Filipinas se converteram no primeiro país em tratar os resíduos de um programa de vacinação em escala nacional, sem recorrer à incineração ou à queima a céu aberto.

Através da Campanha para a Eliminação do Sarampo das Filipinas, foram vacinadas 18 milhões de crianças durante o mês de fevereiro de 2004. É estimado que em pouco mais de um mês, a campanha descartou 19,5 milhões de seringas, que foram recolhidas em 162.000 contêineres rígidos, equivalente a cerca de 810.000 litros ou 130.000 kg de resíduos perfurocortantes. Também foi produzido um adicional de 740.000 litros ou 72.000 quilos de resíduos não perigosos (frascos e ampolas de vacinas vazias, embalagens de seringas, cápsulas vazias de vitaminas, algodão, tampas de seringas e embalagens).

A Campanha contra o Sarampo nas Filipinas foi uma oportunidade para demonstrar e documentar o manejo e a disposição de resíduos sem incineração ou queimas a céu aberto durante uma campanha de vacinação em massa. Para obter maiores informações sobre esta experiência, veja o Resumo Executivo (em espanhol) do relatório de Saúde Sem Dano: "Disposição de Resíduos de Vacinações em Massa sem Incineração". Você também pode baixar o relatório completo (no momento somente em inglês).

Temas
Temas


Textise: Back to top

This text-only page was created by Textise (www.textise.net) © Textise - CPC LLC
To find out more about our product, visit Textise.org.